Prefeitura Municipal de Crateús

Primeira Capela – 1792
A fazenda Piranhas foi instalada à margem esquerda do Rio Poti. No local, foi levantada uma capela em honra ao Senhor do Bonfim. Moradores contam ainda a história de que a imagem do santo foi transportada em uma rede, carregada nos ombros de escravos.

Criação da Vila – 1832
Em 1832, o povoado já crescido, passou à Vila, denominado Príncipe Imperial. Algumas décadas depois, em 1880, é que o município de Cratéus passou a fazer parte do estado do Ceará, trocados pelas terras onde se situam o antigo Porto de Amarração. Só em 1911 Crateús passou a categoria de cidade.

Origens – 1880
Os índios da tribo ‘Karatis’ foram os primeiros moradores de Crateús e passaram a habitar o local ainda no século dezessete. Viviam em sua natural primitividade, até que chegou o bandeirante paulista Domingos Jorge Velho e iniciou o povoamento. Mais adiante, a baiana Luiza da Rocha Passos conseguiu a posse do vale conhecido por Piranhas, chamado assim por possuir uma grande quantidade deste tipo de peixe.

Grandes acontecimentos – 1915
As grandes secas de 1915, 1952 e 1981, entre outras, obrigaram muitos crateuenses a se retirarem da sua terra natal à procura de água e trabalho.
Muitas enchentes também assolaram os moradores, como as de 1917, 1974 e por último, a de 2004. Estas alterações climáticas prejudicaram bastante a base econômica, principalmente a agricultura da cidade.
A passagem dos revoltosos em Cratéus, em 1926, ficou destacada na história do país. Houve tiroteios entre polícia e os revoltosos, comandados pelo capitão Pretinho. Dois destes revoltosos morreram.

Evolução Politica – 1926
Crateús teve uma grande importância na história política, geográfica e econômica do Ceará. Em 1880, uma lei imperial incorpora o município cearense de Amarração (hoje, Luiz Correia) ao território piauiense. Em troca, o município de Príncipe Imperial, que hoje são as cidades de Crateús e Independência, passa à jurisdição do Ceará.
Crateús foi palco de um enfrentamento entre soldados e a Coluna Prestes. Os Revoltosos, comandados no país por Luís Carlos Prestes, passaram pela cidade de Crateús em 1926, chefiados pelo Capitão João Alberto.
O vigário de Crateús na época, Padre Juvêncio, avisou, durante missa de domingo, da possibilidade dos Revoltosos chegarem à cidade. Recomendou que todos ficassem em locais seguros. Muitos foram para as fazendas, distritos e povoados. Outros ficaram e viram os Revoltosos.
O comandante da Polícia, Tenente Peregrino, mobilizou 100 soldados para enfrentar os Revoltosos. Eles chegaram à cidade em grupos, entrando por áreas distintas da cidade. O tiroteio entre os grupos e a Polícia inicia-se, bem na Praça da Estação. Foi um combate acirrado, no qual morreram dois Revoltosos, o Tenente Tarquínio e o Cabo Antonino Cabeleira. A sepultura dos Revoltosos fica localizada na Boa Vista, imediações da cidade

Atrativos Naturais
Reserva Natural Serra das Almas – É Reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN, pelo IBAMA.
Espécies ameaçadas de extinção, como a onça-parda, o gato-do-mato e o pica-pau-anão, estão protegidas nessa área, mantida pela Associação Caatinga, instituição não governamental, sem fins lucrativos, que, desde 1998, trabalha na proteção das riquezas naturais da vegetação local.
Lá, é possível encontrar uma reserva de Caatinga com mais de 350 espécies de plantas, 57 répteis e anfíbios, 173 de aves e 38 de mamíferos.
Os principais destaques dos atrativos naturais são a Fauna dos Caboclos, o Canyon do Rio Poty, os Poços do Rio Poty, as grutas e cavernas, o Castelo de Pedra, o Olho d’Água, o Açude Carnaubal e o Açude Realejo.

Localização
É a cidade pólo da região centro-oeste do Estado do Ceará. Distante 365 km da capital do estado.

Origem do nome
O nome Crateús, para o município, foi oficializado em 1889. A palavra, na linguagem dos índios Tapuios significa KRATÉ (coisa seca) e YU (lugar muito seco). A denominação lembra KARATEÚ, tribo indígena (as terras de Crateús pertenciam a esse povo).
Essa palavra tem origem indígena e na linguagem dos índios Tupis é composta por uma mistura estranha das palavras CARÁ que significava “Batata” e TEU, que significava “Lagarto”.
Já na linguagem dos índios Tapuios, pertencentes à tribo Cariris, a palavra é o resultado da soma de outras pequenas palavras: KRA, que significava “seco”, juntou-se a TE, para formar KRATÉ – coisa seca ou lugar seco – e a YU, lugar muito seco.
Portanto, a origem provável e que mais se aproxima da realidade do município é Karateú, tribo indígena a quem pertenciam as terras que originariam a cidade, oficialmente no dia 15 de Novembro de 1911.

Parceiros

ACEP - Associação Cearense de Estudos e Pesquisas
Av. da universidade, 2446 - Benfica - CEP: 60.020-180 - Fortaleza - CE
Fone/Fax: (85) 3253.4161 - CNPJ: 01.921.606/0001-22
E-Mail: acep@acep.org.br

Criação de sites, Desenvolvimento e otimização SEO em Fortaleza - Grupo Inovare
Highslide for Wordpress Plugin